OMS afirma que 270 mil pedestres morrem em acidentes nas ruas por ano

Ouvir /

Agência da ONU disse que isso representa 22% do total de mortes causadas por acidentes de trânsito anualmente, no mundo; organização quer que governos adotem ações concretas para melhorar a segurança dos pedestres.

Acidente de trânsito

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde alertou que 270 mil pedestres morrem todos os anos em acidentes nas ruas e estradas do mundo inteiro.

Segundo a OMS, isso representa 22% do 1,24 milhão de mortes no trânsito registradas anualmente. A agência da ONU pediu aos governos que adotem ações concretas para melhorar a segurança dos pedestres.

Campanha

A OMS lança de seis a 12 de maio, a campanha "Segunda Semana Global da ONU para Segurança nas Estradas", com eventos em quase 70 países.

O objetivo é chamar a atenção das autoridades para as necessidades dos pedestres, gerar medidas de proteção e contribuir com a meta da "Década Global para a Segurança nas Estradas". O programa visa salvar 5 milhões de vidas entre 2011 e 2020.

Mortes

O diretor da OMS responsável pelo setor, Etienne Krug, afirmou que 5 mil pedestres morrem nas ruas, por semana, em todo o mundo. Ele explicou que isso acontece porque suas necessidades estão sendo ignoradas há décadas.

Krug disse que as autoridades devem repensar uma forma de organizar o sistema de transportes para garantir a segurança das pessoas que caminham.

Fatalidades

Segundo a OMS, o índice de pedestres mortos nas ruas é maior na África, 38%, e menor no sudeste da Ásia, com 12%. Mas em alguns países, como El Salvador e Libéria, essa proporção chega a quase dois-terços das fatalidades ocorridas em acidentes de trânsito.

O Brasil é considerado um dos países com as melhores leis de trânsito do mundo. Mesmo assim

Foto: OMS

o país registra um número alto de mortes em acidentes nas ruas e estradas.

Segundo o Relatório da OMS, "Estado Global sobre a Segurança nas Estradas", o Brasil teve 36,5 mil acidentes de trânsito, com mais de 43 mil mortes. Isso corresponte a uma taxa de 22,5 mortes para cada 100 mil habitantes.

O resultado coloca o Brasil no mesmo nível de Angola, Botsuana, Gabão e Líbano, e atrás dos vizinhos, Argentina, Colômbia, Paraguai e Uruguai.

Desempenhos

Os melhores desempenhos em termos de segurança foram registrados em países europeus, cuja taxa chegou a 3 mortes por 100 mil habitantes, na Suécia, até os Estados Unidos, com 11,4.

Os piores resultados foram em nações como República Dominicana, Venezuela, África do Sul, Nigéria, Irã, Iraque e Tailândia.

Lusófonos

Entre os países lusófonos, Guiné-Bissau teve o pior resultado com um índice de 31,2 mortes por 100 mil habitantes, seguida de Angola, Brasil, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, Moçambique e Portugal.

A OMS diz que existem várias formas para melhorar a segurança dos pedestres.

A organização sugere a adoção e a aplicação de leis para reduzir a velocidade, combater o motorista que dirige embriagado, evitar o uso de telefones celulares e outras formas de distração. 

Segundo a OMS é necessário criar calçadas, passarelas ou outros tipos de infraestrutura que separem os pedestres dos carros, como também criar áreas somente para pessoas em grandes centros urbanos, restringindo o acesso de automóveis.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 19 DE DEZEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 19 DE DEZEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2014
S T Q Q S S D
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031