FAO quer combater fome com produtos das florestas

Ouvir /

Organização recomenda consumo de insetos ricos em nutrientes.

As abelhas estão na lista dos mais consumidos. Foto: Banco Mundial.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.   

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, quer combater a fome com produtos retirados das florestas.

Um novo relatório da agência da ONU mostrou que os insetos podem representar uma fonte de nutrientes para tentar acabar com a fome e garantir a segurança alimentar.

Proteína

Segundo o documento, os insetos são nutritivos e ricos em proteínas. Calcula-se eles façam parte da dieta tradicional de 2 bilhões de pessoas no mundo inteiro.

A FAO diz que a criação de insetos pode ser uma fonte também de empregos e de renda. Nesse momento, ela representa mais uma operação caseira mas tem potencial para atingir escala industrial. 

Florestas

Na abertura da Conferência Internacional sobre Florestas para a Nutrição e Segurança Alimentar, em Roma, o chefe da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, afirmou que as florestas contribuem para o sustento de mais de 1 bilhão de pessoas.

Segundo Graziano da Silva, elas fornecem alimentos, óleo para cozinhar, forragem para animais e renda. Ele disse ainda que insetos e animais selvagens são, geralmente, fonte de proteína para as pessoas que vivem na região.

O diretor-geral da FAO afirmou que as folhas, sementes, cogumelos, mel e frutas fornecem vitaminas e minerais, além de garantir uma dieta saudável.

Pesquisa

Com mais de 1 milhão de espécies catalogadas, os insetos representam mais da metade dos organismos vivos no planeta.

Uma pesquisa feita pela FAO em parceria com a universidade Wageningen, da Holanda, mostrou que mais de 1,9 mil insetos são consumidos por homens, mulheres e crianças no mundo.

Abelhas e Formigas

Os mais consumidos são os besouros, 31% das pessoas, seguidos da lagarta, abelhas, vespas e das formigas. Ainda na lista estão, gafanhotos e grilos.

Muitos insetos são ricos na chamada "gordura boa", e também em cálcio, zinco e ferro. Nesse caso, um bife por exemplo, tem 6 mg de ferro em cada 100 gramas. Um gafanhoto tem até 20 mg de ferro, dependendo da espécie e do tipo de comida que os insetos consomem.

A diretora da Divisão Florestal da FAO, Eva Muller, alertou que a organização não está dizendo que as pessoas devem comer insetos, mas sim que eles representam uma fonte de alimentos das florestas.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 17 DE ABRIL DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 17 DE ABRIL DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

abril 2014
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930