TPI: proteção de testemunhas em casos do Quênia é de alta prioridade

Ouvir /

Promotora-chefe do órgão "deplora relatos sensacionalistas da mídia" queniana, questionando o nível da cooperação de testemunhas; Tribunal irá julgar políticos do país em casos de crime contra a humaninade.

Fatou Bensouda

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A promotora-chefe do Tribunal Penal Internacional, TPI, reagiu nesta segunda-feira à imprensa do Quênia, que estaria questionando o grau da cooperação de testemunhas em casos que irão a julgamento.

Em nota, o escritório de Fatou Bensouda "deplora o recente fluxo de relatos sensacionalistas da mídia" queniana. A promotora destaca que "a proteção de testemunhas continua sendo uma das prioridades mais altas" do TPI.

Justiça

O escritório de Bensouda afirma que não será afetado "por qualquer especulação pública sobre o estado das testemunhas". O TPI lembra que a "coragem e integridade de testemunhas são essenciais" para que o tribunal possa determinar a verdade. E destaca ser do interesse de todos permitir que "a justiça siga o seu curso".

Segundo a mídia africana, várias testemunhas teriam abandonado os dois casos que correm no TPI contra políticos quenianos, acusados de cometer crimes contra a humanidade.

Julgamentos Agendados

No primeiro caso, serão julgados em 28 de maio o ex-ministro da Educação, William Samoei Ruto e o chefe de uma rádio de Nairobi, Joshua Sang. Eles são acusados de assassinatos, perseguição e transferência forçada da população.

O segundo caso é contra o recém-eleito presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta. O julgamento dele está previsto para julho. Kenyatta é acusado de crimes contra a humanidade, incluindo assassinatos, deportação de pessoas, estupros, perseguição e outros atos desumanos.

Eles negam as acusações do tribunal.

No mês passado, o TPI decidiu retirar a ação contra outro acusado do mesmo caso, Francis Muthaura, ex-chefe de gabinete da presidência do país. Os acusados serão julgados por uma onda de violência ocorrida no país no final de 2007, quando mais de mil pessoas morreram e outras 600 mil ficaram deslocadas após as eleições presidenciais.

 

 

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 28 DE JULHO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 28 DE JULHO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031