Indígena brasileiro recebeu prêmio da ONU por luta para salvar comunidade

Ouvir /

Almir Narayamoga Suruí disse que sua comunidade foi reduzida de 5 mil para 295; ele recebeu a condecoração pelo seu trabalho de proteção da floresta.

Almir Narayamoga Surui

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O líder ativista indígena brasileiro, Almir Narayamoga Suruí, recebeu, esta terça-feira, o prêmio Heroi da Floresta, no Fórum das Florestas da ONU que está sendo realizado em Istambul, na Turquia.

Almir Narayamoga foi o vencedor para a América Latina e o Caribe pelo trabalho que tem feito, por mais de 20 anos, em defesa de sua comunidade e da proteção da floresta amazônica.

Desenvolvimento

O líder indígena disse, na cerimônia, que atualmente é um desafio real proteger as florestas. Segundo ele, os grandes projetos de desenvolvimento na região amazônica trazem também consequências sociais e ambientais negativas.

Narayamoga afirmou que no Brasil, a tendência é equiparar desenvolvimento com o corte de árvores. O ativista explicou que é isso que tenta combater. Para ele, é possível ter desenvolvimento sem precisar derrubar árvores.

Extinção

Em Istambul, o líder indígena explicou a jornalistas que sua comunidade começou a sofrer extinção após o primeiro contato com não-indígenas, em 1968.

Ele disse que seu  povo foi reduzido de 5 mil para 292 pessoas. Quando se tornou líder do povo Suruí, ao 17 anos, começou a buscar soluções para os problemas.

Narayamoga afirmou que o diálogo é um instrumento importante, como também a consciência, o respeito e o valor da cultura e da floresta. Ele disse que a floresta tem que ser usada com responsabilidade, com respeito e com estratégia.

Projetos

O indígena brasileiro conseguiu negociar com o governo a construção de escolas e postos de saúde para o povo Surui. Com o Banco Mundial, Almir Narayamoga conquistou a reforma de um programa de desenvolvimento, para que grupos indígenas pudessem ser beneficiados.

Almir Narayamoga lembra que a preservação é importante porque as florestas trazem equilíbrio climático. O líder Surui conseguiu uma parceria com o Google Earth, para que os indígenas aprendessem a usar a tecnologia digital e assim, monitorar e mapear a floresta onde vivem.

O “Heroi da Floresta” também criou um plano de 50 anos, para a conservação em larga escala da Amazônia.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 02 DE SETEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 02 DE SETEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2014
S T Q Q S S D
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930