Unicef alerta que Síria pode perder uma geração por causa da violência

Ouvir /

Relatório da agência da ONU diz que crianças são as que mais sofrem com o conflito; 20% das escolas foram destruídas ou danificadas e hospitais e centros de saúde funcionam de forma precária.

Anthony Lake com crianças sírias refugiadas na Jordânia Foto: Unicef

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, alertou para o "aumento do risco de crianças se tornarem uma geração perdida na Síria", num relatório para marcar os dois anos do início do conflito.

A agência da ONU afirma que os menores são vítimas da violência contínua, do deslocamento maciço e de danos na infraestrutura e nos serviços essenciais.

Segundo o documento, as salas de aula estão lotadas, com até 100 alunos. Em Aleppo, uma das cidades mais atingidas, apenas 6% das crianças vão à escola.

Doenças

O estudo lançado, esta terça-feira, em Amã, Genebra e Nova York mostra que o acesso à água caiu em cerca de dois terços. Como consequência, aumentou o número de casos de doenças da pele e respiratórias nas áreas onde o conflito é mais intenso.

Falando a jornalistas, em Genebra, o diretor executivo do Unicef, Anthony Lake, realçou o impacto do conflito para a região. A agência calcula que mais de 2 milhões de crianças foram afetadas até agora.

Tragédia Dupla

Lake faz alusão ao título do relatório "Crianças Sírias: Uma Geração Perdida?", dizendo que ele realça uma tragédia dupla que atinge crianças dentro do país e em várias nações vizinhas.

A ONU calcula que 70 mil pessoas teriam morrido desde o início dos confrontos entre forças governamentais e rebeldes, em março de 2011.A agência aponta, igualmente, os saques ocorridos em hospitais e a fuga de profissionais.

Traumas

O relatório destaca que vários menores são vítimas de traumas "ao ver parentes e amigos serem mortos, além de serem aterrorizados com sons e cenas do conflito."

Em países como a Jordânia, o Líbano, o Iraque e a Turquia, 300 mil crianças refugiadas recebem assistência do Unicef.

Refugiados

De outro lado, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur,  disse que o número de  refugiados sírios na região, com ou sem registro, já passou de 1,1 milhão.

Na Turquia, os sírios somam agora 258 mil depois que o governo começou a registrar os refugiados que vivem fora dos campos e em ambientes urbanos. O país que mais abriga sírios é a Jordânia, com mais de 340 mil refugiados.

* Apresentação Edgard Júnior

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 28 DE JULHO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 28 DE JULHO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031