Secretário-Geral pede restauração da ordem na República Centro-Africana

Ouvir /

Rebeldes tomaram o poder da capital, Bangui e presidente François Bozizé foi forçado a deixar o local; Ban Ki-moon apela por calma e respeito ao Estado de Direito.

Deslocados Internos na República Centro-Africana. Foto: Acnur

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.* 

O Secretário-Geral da ONU condenou nesta segunda-feira a tomada de poder na República Centro-Africana. Ban Ki-moon pediu a restauração da ordem constitucional no país, após rebeldes tomarem no domingo o controle da capital, Bangui, em um conflito que forçou o presidente François Bozizé a deixar o local.

Os confrontos começaram na sexta-feira, quando rebeldes armados avançaram para a capital. Segundo relatos da mídia, pelo menos nove soldados da África do Sul foram assassinados no domingo, tentando prevenir a tomada de Bangui.

Calma

Há ainda informações sobre grandes saques na cidade, incluindo em vários escritórios da ONU, onde houve roubos e danos de equipamentos.

Em nota, o Secretário-Geral apela por calma e respeito ao Estado de Direito na República Centro-Africana. Ban Ki-moon também está "muito preocupado com relatos de sérias violações dos direitos humanos" e ressalta que autores de tais atos devem ser responsabilizados.

Em Bangui, a diretora no país do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, disse que a situação de segurança é imprevisível.

Evacuação

Segundo Amy Martin, apesar do toque de recolher imposto pelas autoproclamadas novas autoridades, podem ser ouvidos tiros esporádicos e às vezes intensos, nos subúrbios de Bangui.

A diretora do Ocha na República Centro-Africana confirmou que as pessoas estão sem casa para morar e faltam eletricidade e água. Nesta segunda-feira, a ONU anunciou que os funcionários não-essenciais foram evacuados e estão temporariamente na capital dos Camarões, Yaoundé.

Acordo de Paz

Segundo o Ocha, cerca de 1,5 milhão de pessoas precisam de assistência humanitária na República Centro-Africana. Os conflitos no país começaram em dezembro, quando o grupo rebelde Séléka realizou vários ataques. Um acordo de paz foi alcançado em janeiro, na cidade de Libreville, no Gabão.

O Secretário-Geral Ban Ki-moon reiteirou que os Acordos de Libreville são o meio mais viável de garantir a paz duradoura e a estabilidade no país.

*Apresentação: Leda Letra.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 19 DE SETEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 19 DE SETEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2014
S T Q Q S S D
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930