OMS afirma que 360 milhões sofrem de perda de audição no mundo

Ouvir /

Estudo da agência da ONU diz que problema afeta 165 milhões de idosos com mais de 65 anos; crianças com menos de 15 anos também são atingidas.

Foto: www.npr.org

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

Um estudo da Organização Mundial da Saúde alertou que 360 milhões de pessoas no mundo sofrem de perda de audição. O documento foi divulgado, esta quarta-feira, em preparação para o Dia Internacional do Cuidado Auditivo, em 3 de março.

A pesquisa mostra que a África Subsaariana apresenta um dos maiores índices de perda de audição incapacitante ao lado das regiões do Sul da Ásia e Ásia-Pacífico.

Cuidado Auditivo

Falando à Rádio ONU; de Genebra, a médica da OMS, Regina Ungerer defendeu medidas de prevenção para centros urbanos, onde há grande exposição a riscos de perda auditiva.

Cidades

"Não estando perto de barulhos que sejam acima de 80 a 90 decibéis, uma frequência que começa a prejudicar a audição. Temos que estar numa faixa sempre abaixo disso. No entanto, a gente vive em cidades com muitos ruídos, sons muito elevados, com construções civis, carros, buzinas, metalúrgicas e com som de mp3 e Ipod que de uns 15 anos para cá todo o mundo tem estado com esses aparelhos nos seus ouvidos. Tudo isso tudo, em conjunto, pode ser um dos fatores que vai provocar a surdez".

A agência diz que 32 milhões de crianças menores de 15 anos sofrem do problema, sendo as infeções do ouvido a principal causa da deficiência, especialmente em países de baixa e média rendas.

Envelhecimento

A OMS afirmou ainda que com o envelhecimento mundial da população, há mais casos de perda de audição. Um em cada três idosos, com mais de 65 anos, convive com a condição, no que corresponde a 165 milhões de pessoas em todo o mundo.

A insuficiência  de aparelhos auditivos para pessoas com o problema é tida como um desafio, numa altura em que a produção dos equipamentos supre a demanda de uma em cada dez pessoas.

Aparelho

Nos países em desenvolvimento, menos de uma em cada 40 pessoas que precisam de um aparelho auditivo tem acesso. A transferência de tecnologia é vista como forma garantir que mais aparelhos auditivos cheguem aos países em desenvolvimento.

Doenças infecciosas como rubéola, meningite, sarampo e caxumba são tidas como as que mais podem levar à perda auditiva. A vacinação pode evitar a maioria dessas doenças.

Lesões

Além da exposição ao ruído excessivo, as causas comuns da perda auditiva incluem lesões no ouvido ou na cabeça, envelhecimento, causas genéticas e medicamentos que podem prejudicar a audição.

O estudo cita ainda problemas durante a gravidez e no parto, como infeção por citomegalovírus e sífilis.

A OMS afirma que metade dos casos de perda de audição pode ser facilmente evitada. A organização indica também a possibilidade de tratamento em caso de diagnóstico precoce e intervenções adequadas como aparelhos auditivos cirurgicamente implantados.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 26 DE DEZEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 26 DE DEZEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2014
S T Q Q S S D
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031