Equipa de direitos humanos investiga situação no Mali, a partir deste sábado

Ouvir /

Durante duas semanas, grupo deve apurar relatos de violência retaliatória; agências falam de interrupção de vias de acesso e necessidade de retorno de agricultores com aproximar da éposa agrícola.

Foto: Acnur

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório dos Direitos Humanos da ONU enviou uma equipa de especialistas que, a partir deste sábado, deve conduzir investigações no Mali.

Um comunicado refere que o país da África Ocidental continua motivo de grande preocupação, o que justifica a presença do grupo. Durante duas semanas, serão apurados relatos de alegados abusos, que incluem ações de violência retaliatória.

Violações

A deslocação dos peritos segue-se à presença de um grupo que documentou relatos de violações como execuções extrajudiciais e casos de estupro e de tortura, em Novembro do ano passado. Os resultados das duas investigações devem ser publicados na sessão do Conselho dos Direitos humanos, em Genebra, no fim deste mês.

O país está a recuperar do conflito que envolveu o governo, forças aliadas e milícias islamitas, após o golpe de Estado e a tomada do norte pelos rebeldes. Estima-se que  os confrontos levaram à fuga de 400 mil pessoas para o exterior.

Movimentos

Outra preocupação levantada pelas Nações Unidas é relacionada com a distribuição alimentar, o aumento de preços e a interrupção de serviços. O Programa Mundial da Alimentação, PMA referiu-se à escassez de bens de primeira necessidade devido à movimentação limitada nas áreas afetadas.

A agência anunciou que mais de 1 mil toneladas de alimentos e bens de primeira necessidade foram distribuídas no norte, desde princípio do mês, transportados por barcos pelo rio Níger.

Época Agrícola

A Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO falou da necessidade urgente de ajudar os agricultores deslocados a retornar às suas terras e retomar a produção.

O alerta surge com o aproximar da temporada agrícola, que deve iniciar em Maio, e abrange os locais onde tenha ocorrido uma evolução da segurança.

Confrontos

A agência refere que dentro do país já tinham sido registados mais de 229 mil desalojados acrescidos aos mais de 10 mil que fugiram para o sul, devido à intensificação de confrontos em Janeiro.

Após conversações com o ministro maliano da Agricultura, Baba Berthe, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, abordou a melhoria na situação de segurança e a necessidade garantir resistência dos pequenos agricultores.

Deslocamento

Prevê-se que no sul do país surjam mais de 1 milhão de pessoas em situação de insegurança alimentar, a juntar-se aos cerca de 2 milhões que já passavam pelo problema devido a vários fatores nos últimos dois anos.

Entre as razões estão os efeitos da crise de alimentos e a segurança nutricional devido à combinação de seca, aumento de preços de cereais e a degradação ambiental, aliados ao deslocamento interno.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 26 DE NOVEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 26 DE NOVEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

novembro 2014
S T Q Q S S D
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930