Ban: Líderes mundiais devem demonstrar tolerância e respeito

Ouvir /

Secretário-Geral fez a declaração na abertura do 5º Fórum Global da Aliança das Civilizações da ONU; ele disse que o grupo pode ajudar a resolver o impasse entre israelense e palestinos e os conflitos no Mali e na Síria.

Ban Ki-moon

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon afirmou que os líderes mundiais devem repudiar o discurso da divisão ou da difamação para promover uma linguagem de respeito e tolerância.

A declaração de Ban foi feita, nesta quarta-feira, na abertura do 5º Fórum Global da Aliança das Civilizações das Nações Unidas, em Viena, na Áustria.

Ajuda

O Secretário-Geral falou que a Aliança das Civilizações pode ajudar a resolver três situações urgentes. A primeira é o impasse contínuo entre israelenses e palestinos.

As outras duas são os conflitos armados no Mali e na Síria. Sobre o caso sírio, ele afirmou que está profundamente preocupado com o risco de uma violência sectária e uma represália em massa com a piora da situação no país.

Retirada

No Mali, o chefe da ONU disse que os extremistas estão em retirada, mas não foram derrotados.

Segundo ele, não só o país, mas toda a região de Sahel, que integra várias nações africanas, enfrenta muitos desafios.

Oriente Médio

Sobre o Oriente Médio, o Secretário-Geral afirmou que o movimento para o processo de paz está atrasado.

Segundo ele, cada dia perdido afasta cada vez mais a meta da criação de dois Estados, já acordada entre israelenses e palestinos. Ban declarou que uma paz duradoura na região exige a retomada das negociações com o apoio da comunidade internacional.

Diferenças

Para o chefe da ONU, israelenses e palestinos continuam polarizados em suas posições. Ele demonstrou também preocupação com a juventude.

Ban disse que uma geração inteira, dos dois lados, corre o risco de crescer com um conceito demonizado e desumano sobre o outro, o que é, segundo o Secretário-Geral, completamente falso.

O chefe da ONU declarou que a Aliança pode ajudar em todos esses casos apoiando as negociações de paz, como vem fazendo, e buscando o entendimento entre as partes em conflito.

Ferida

Falando também no encontro, o presidente da Assembleia-Geral, Vuk Jeremic, disse que a incapacidade para "cumprir os direitos inalienáveis do povo Palestino permanece na agenda da ONU como uma ferida aberta".

Jeremic fez um apelo para que israelenses e palestinos "retomem as negociações em boa fé, para a reconciliação entre duas nações" e pediu a ajuda da comunidade internacional nesse processo.

Agradecimento

Ban fez questão de agradecer, particularmente, ao Brasil, ao Catar,  à Espanha e à Turquia pelo apoio dado à Aliança nos últimos cinco anos.

Ele agradeceu também ao ex-presidente de Portugal, Jorge Sampaio, pelo trabalho no comando da Aliança das Civilizações. O Secretário-Geral disse que durante o período de Sampaio na liderança, o grupo mais que dobrou de tamanho agora com 136 países-membros.

No seu lugar, assume para um mandato de cinco anos, o ex-presidente da Assembleia-Geral, Nassir Abdulaziz Al-Nasser.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 20 DE AGOSTO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 20 DE AGOSTO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

agosto 2014
S T Q Q S S D
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031