ONU elogia libertação temporária de ativista de direitos humanos no Irã

Ouvir /

Nasrin Sotoudeh recebeu três dias de licença temporária da Prisão Evin, onde ela está cumprindo uma sentença de seis anos, acusada de crimes pelo governo.

Nasrin Sotoudeh

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos saudou a libertação temporária de uma ativista no Irã, que foi condenada a seis anos de prisão.

A advogada Nasrin Sotoudeh recebeu uma licença de três dias e está passando o tempo com a família desde esta quinta-feira. Ela está cumprindo a pena na Prisão Evin, em Teerã, capital do Irã.

Trabalho

Sotoudeh foi presa e impedida de advogar por 10 anos. Ele é acusada de crimes pelo governo iraniano, que o Alto Comissariado acredita, estarem ligados ao trabalho dela como defensora dos direitos humanos.

Em 17 de outubro passado, a ativista decidiu fazer uma greve de fome após o governo impor restrições de viagem à família dela. Em dezembro, as restrições foram suspensas.

Em nota, o Alto Comissariado afirmou esperar que Nasrin Sotoudeh seja libertada para sempre, em breve.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 04 DE AGOSTO DE 2015
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 04 DE AGOSTO DE 2015
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

agosto 2015
S T Q Q S S D
« jul    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31