Exposição prolongada ao arsênio pode causar câncer, alerta OMS

Ouvir /

Segundo agência, metal está presente em altos níveis em fontes subterrâneas de água na Argentina, na China e nos Estados Unidos; arsênio também está associado com doenças do coração e diabetes.

OMS recomenda medidas educativas

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A exposição prolongada ao arsênio presente em água e comida pode causar câncer, lesões na pele, problemas de desenvolvimento, doenças do coração, diabetes e danos ao sistema nervoso.

O alerta da Organização Mundial da Saúde, OMS, destaca os perigos da presença do metal em água utilizada para beber, preparar comida e irrigar plantações.

Metal Tóxico

Segundo a OMS, o arsênio está naturalmente presente, em grandes quantidades, em fontes subterrâneas de água em vários países, como Argentina, China, México e Estados Unidos. O metal é altamente tóxico e também pode ser encontrado em peixes, mariscos, carne, frango e cereais.

A agência da ONU ressalta que fumantes também podem ser expostos ao arsênio, porque as plantações de tabaco entram em contato com a substância presente no solo.

Prevenção

Os sintomas da contaminação por arsênio incluem vômito, dores abdominais e diarreia. A exposição a longo prazo causa mudanças na pigmentação da pele, lesões e pode levar ao câncer de pele.

A OMS considera o arsênio um dos 10 químicos de grande preocupação para a saúde pública e recomenda que a exposição ao metal seja prevenida.

Segundo a agência, a ação mais importante é ter acesso a fontes adequadas de água, que sejam seguras para beber. A OMS recomenda ainda medidas educativas, para que as comunidades entendam os riscos da exposição ao arsênio. 

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 31 DE OUTUBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 31 DE OUTUBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

outubro 2014
S T Q Q S S D
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031