Mais de 40 profissionais da imprensa foram assassinados na Síria neste ano

Ouvir /

Dados são da Unesco, que condenou nesta quarta-feira a morte do repórter de TV Haidar al-Sumudi; agência pede a todos os lados envolvidos no conflito sírio que respeitem o status dos jornalistas.

Foto: Unesco

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A diretora-geral da Unesco, a agência da ONU que promove educação, ciência e cultura, condenou nesta quarta-feira o assassinato do jornalista sírio Haidar al-Sumudi.

Irina Bokova afirmou estar "horrorizada" com o crime e os ataques contínuos a jornalistas na Síria. Segundo a Unesco, o repórter da TV estatal foi morto a tiros no dia 21, em frente à casa dele, na capital do país, Damasco.

Direitos

Com o assassinato de al-Sumudi, sobe para 41 o total de profissionais da imprensa assassinados na Síria neste ano. A diretora da Unesco lembrou que "a liberdade de expressão é um direito humano básico e não pode haver justificativa para reprimi-la por meio da violência".

Irina Bokova apelou a todos os lados envolvidos no conflito sírio que respeitem o status civil dos jornalistas e permitam aos profissionais realizar seu trabalho.

A Unesco é a agência da ONU com mandato para defender a liberdade de expressão e de imprensa e tem um site especial em memória aos jornalistas assassinados em todo o mundo.

 

 

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 26 DE DEZEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 26 DE DEZEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2014
S T Q Q S S D
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031