OMS diz que China erradicou tétano materno e neonatal

Ouvir /

De acordo com a agência, o aumento de partos em hospitais ajudou a melhorar a saúde de mães e bebês; antes de 1995, mais de 75% das crianças chinesas, em áreas rurais, nasciam em casa.

 

Foto: Unicef

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que a China conseguiu erradicar o tétano materno e neonatal. A doença, que pode ser evitada, é uma das maiores causas de morte no mundo.

A erradicação ocorreu com um exercício de validação, realizado no mês passado, pela agência da ONU e pelo Governo Chinês. A eliminação foi então declarada, formalmente, no último dia 30. Uma das razões para o sucesso foi o aumento no número de partos em hospitais.

Trabalhadores Migrantes

Os técnicos da OMS utilizaram 103 equipes de monitoramento na atividade. Foram escolhidas duas províncias, a de Guangxi e a de Guangdong, por concentrarem uma grande quantidade de trabalhadores migrantes e populações rurais pobres.

Dos mais de 45 mil lares pesquisados, não foi encontrado nenhum caso de tétano neonatal e materno em mais de 2,3 mil nascimentos.

Para a OMS, a erradicação do tétano neonatal ocorre quando existe menos de um caso por mil nascimentos vivos em cada distrito.

Cordão Umbilical

O exercício de validação foi coordenado pelo Ministério da Saúde chinês com o apoio da OMS e do Unicef. Com isso, a China junta-se a um grupo de outros 161 países que eliminaram o tétano. A doença, que mata com frequência, afeta mães e recém-nascidos.

O tétano causa rigidez muscular e espasmos. O contágio, geralmente ocorre, devido à falta de higiene no parto e por infecções no cordão umbilical.

 

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 17 DE ABRIL DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 17 DE ABRIL DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

abril 2014
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930