Apesar dos esforços, aumentam vítimas da crise no Corno de África

OMS regista mais mortes registadas de crianças na Somália; número de necessitados aumenta no Quénia e no Djibuti.

Agências humanitárias dizem não ter acesso a muitos necessitados na Somália

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório da ONU para os Assuntos Humanitários, Ocha, alertou para o agravamento da situação de emergência no Corno de África, apesar dos contínuos esforços das agências humanitárias para alargar a sua capacidade de resposta.

A combinação dos problemas como acesso, restrições logísticas, más colheitas, previsões meteorológicas desfavoráveis, queda na oferta de alimentos e de financiamento continuam a representar um grande desafio, aponta o Escritório.

Incidência de Diarreia

Nesta sexta-feira, a Organização Mundial de Saúde, OMS, disse que a incidência de diarreia aguda foi alarmante na Somália, com pelo menos 211 mortes registadas na sua maioria em crianças menores de dois anos.

A agência anunciou o envio de clínicas móveis para o sul e centro, para ajudar a lidar com a doença e outras complicações de saúde como diarreia, malária,  anemia, desnutrição e problemas respiratórios.

Aumento de Necessitados

De acordo com o Ocha, o número de necessitados no Quénia subiu de 2,4 milhões para 3,75 milhões. Já no Djibuti, 136 mil pessoas enfrentam insegurança alimentar crónica.

Na Somália, o país mais afectado, agências humanitárias dizem ser capazes de abranger menos de metade dos 3,7 milhões de necessitados.

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 14 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 14 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031